Reciclagem: dúvidas?

Se você tem coleta seletiva na sua região, e tem dúvidas sobre como e o que separar, como eu tinha, achei um guia bem fácil com as principais respostas, para que saibamos como separar cada embalagem do que consumimos para reciclagem.

RECICLÁVEL X NÃO RECICLÁVEL Para o processo de reciclagem acontecer, não é necessário lavar nada antes. No entanto, é higiênico retirar o excesso de resíduos do recipiente, principalmente se ele ficar armazenado por algum tempo. "Embalagens sujas de leite, açúcar ou doces podem atrair ratos e baratas. Por isso, sugerimos que as peças fiquem na pia durante a lavagem da louça", indica Ana Maria Domingues Luz, presidente do Instituto Gea. "Mas nada de usar água limpa exclusivamente para isso!", ela completa. Tem material que é fácil separar, mas há outros nada óbvios. Na dúvida, consulte esta lista. 

METAL
Recicláveis:
 folha de flandres (é o aço revestido de estanho das latas de óleo, sardinha, creme de leite etc.), latas de aerossol (verifique, antes, se estão vazias), latas de bebidas, papel-alumínio limpo, tampas de garrafa. 
Lixo comum: clipes, esponjas de aço, grampos, tachinhas. 

PAPEL
Recicláveis:
 caixas de papelão, cartazes, cartolinas, embalagens longa vida, envelopes, jornais, papéis de escritório. Antes de dispensar livros e revistas, procure doá-los a bibliotecas ou escolas, ou leve-os a sebos. 
Lixo comum: caixa de pizza com resíduos, celofane, extrato de banco, etiquetas adesivas, fotografias, guardanapo, notas fiscais, papel-carbono, papel de fax, papel higiênico, papéis plastificados, papel vegetal.

PLÁSTICO
Recicláveis:
 canos, copos, embalagens, frascos de produtos de limpeza e higiene pessoal, garrafas PET, potes, sacos, sacolas, tubos.
Lixo comum: cabos de panela, embalagens metalizadas de alimentos (como as de salgadinho), espuma sintética, fraldas descartáveis.

VIDRO
Inteiro ou em cacos, os produtos - recicláveis ou não - devem ser enrolados em jornal ou papelão para evitar acidentes.
Recicláveis: copos, garrafas, frascos em geral, potes alimentícios.
Lixo comum: boxe de banheiro, cerâmicas, cristais, espelhos, lâmpadas incandescentes, lentes de óculos, louças refratárias, porcelanas, vidros de janela.

E O QUE FAZER COM ESTES ITENS?
Celulares

Antes de se desfazer do aparelho antigo, veja se há possibilidade de conserto ou, se ele estiver em boas condições de uso, guarde-o paraemergências, como roubos e quebras de outros celulares. Mas, se doar o eletrônico para alguém ou tiver de jogar fora mesmo, tenha em mente duas questões: apagar as informações pessoais antes de passá-lo para a frente e fazer o descarte da maneira certa, já que esses equipamentos levam metais pesados em sua composição, especialmente na bateria.

Paraa primeira tarefa, siga o procedimento descrito no manual do aparelho. 
Como e onde descartar: por lei, as operadoras devem receber ou indicar locais que recolham os produtos. Além disso, os mesmos lugares que recebem pilhas e baterias também costumam aceitar celulares. 

ISOPOR O material é um tipo de plástico reciclável. No entanto, a coleta dele não é realizada em todas as cidades. 
Como e onde descartar: busque se informar na prefeitura de seu município antes de colocá-lo junto com os demais componentes recicláveis. E uma ressalva: as bandejinhas de isopor com restos de alimentos devem ir parao lixo comum. Na realidade, a melhor dica é evitar comprar produtos que venham nessas embalagens. 

LÂMPADAS FLUORESCENTES 
Não pertencem ao lixo comum porque contêm mercúrio, substância prejudicial à saúde que, quando liberada no meio ambiente, contamina osolo e os lençóis freáticos. 
Como e onde descartar: contate o fabricante para se informar sobre oposto de coleta mais próximo de sua casa. Outra dica é procurar a rede Leroy Merlin, que reúne lâmpadas, pilhas, baterias, celulares e materiais recicláveis em suas 28 lojas, presentes em seis estados (GO, MG, PR, RJ, RS e SP) e no Distrito Federal. Não é preciso embalar, pois as estações possuem nichos próprios para acomodar as peças. 

LIXO ELETRÔNICO Geladeiras, televisores, micro-ondas, computadores, itens de informática (como CDs e disquetes), impressoras, cartuchos de tinta... Como se livrar desses aparelhos e acessórios, que geralmente contêm metais pesados, como chumbo e cádmio? 
Como e onde descartar: antes de passar adiante o computador, utilize um programa que limpe seus arquivos e impossibilite a recuperação de dados, como o Dban (baixado gratuitamente). Isso feito, procure, primeiro, falar diretamente com o fabricante: empresas como a Dell, a HP e a Itautec recebem equipamentos antigos das próprias marcas. Mas, caso seu PC esteja em bom estado, você também pode doá-lo a programas de inclusão digital, como o Comitê para a Democratização da Informática (CDI), que separa o que funciona para montar novos computadores nos estados de AM, BA, CE, ES, GO, MG, PE, RJ, RS, SC, SE e SP, além do Distrito Federal. Já o E-Lixo Maps, site criado pelo Instituto Sergio Motta em parceria com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente de São Paulo, permite visualizar, de acordo com um endereço, qual o lugar mais próximo para o descarte de determinado tipo de eletrônico. O site do Cempre também disponibiliza uma lista de locais de coleta em todo o Brasil. Quem preferir uma alternativa prática para se livrar do incômodo - principalmente no caso de eletrodomésticos grandes, como geladeira - pode contratar uma empresa especializada, que faz a retirada com hora marcada. A Ecoassist cobra de R$ 19 a R$ 129 pelo serviço em seis estados (MG, PR, RJ, RS, SC e SP), enquanto os valores da Descarte Certo (de cobertura nacional) variam entre R$ 39,90 e R$ 129,90. 

MEDICAMENTOS 
As substâncias químicas dos remédios podem contaminar a água e o solo. Por isso, o destino deles passa longe de ser o lixo comum, a pia ou o vaso sanitário.

A dica veio do site Planeta sustentável onde você pode ler a reportagem completa.

0 comentários

Gostou do que leu? Comente aqui ou compartilhe a postagem

Reserve seu hotel

Booking.com