Caminhada na floresta amazonica

Caminhada na floresta amazonica


Fazer trekking na floresta amazônica é definitivamente um momento marcante de uma viagem à Amazônia.

Ainda que as caminhadas na floresta amazônica organizadas pelos hotéis de selva e pelas diferentes operadoras de turismo sejam programadas para serem leves, e sejam feitas em trilhas previamente conhecidas, o momento de realmente interagir com a floresta, pisar no solo, ver os insetos pertinho de você - às vezes até perto demais :)  -, sentir o calor e a umidade, é intenso.
Entrando na floresta Amazonica
Booking.com Como se vestir para um trekking na Amazonia:
Para a caminhada na floresta amazônica, seguir a recomendação dos guias é muito importante. Nesse caso, foi-nos recomendado tênis, meia, calça comprida, camiseta (não precisa ser camiseta de manga comprida, porque lá faz muito calor).

O ideal é que você feche os “buracos” por onde insetos podem entrar. No caso das mulheres, uma calça legging, grudada no corpo, com uma meia por cima, sem deixar nenhuma parte dos tornozelos à mostra, é o ideal. Ainda coloquei a camiseta por dentro do legging para evitar que alguma formiga resolvesse explorar minha barriga (não ficou bonito, mas me senti muito mais à vontade para caminhar na floresta).

No caso dos homens, aquelas calças esportivas com bombacha (cordinha que permite ajustar a boça da calça no tornozelo) são as ideais, também com meia por cima caso haja muita formiga onde você for andar.

Como no meio da floresta o clima úmido e quente vai fazer você se sentir em uma sauna, especialmente porque você vai estar caminhando, ou seja, vai sentir mais calor ainda, prefira camisetas e calças em material que permita transpiração. O ideal são calças e camisetas 100% algodão, ou em tecido especial para esporte, como o Clima cool da Adidas.

Evite roupas escuras, pois elas absorvem mais o calor, atraindo assim mais insetos. Além disso, use bastante repelente, na roupa toda, no tênis, no pescoço.

Dica: Se você usa repelente em spray, para evitar respirá-lo quando for passar no pescoço e no cabelo, use este pequeno truque: vaporize uma boa quantidade nas mãos, e esfregue-as no pescoço, no rosto e no cabelo.



Sobre o passeio:
A caminhada, em grupos pequenos de 10 a 15 pessoas, para evitar que alguém se perca, é fácil. Como normalmente há pessoas de todas as idades, inclusive mais idosos, não se anda muito rápido, e faz-se pausas para reunir o grupo em torno de pontos interessantes da floresta: árvores de vários tipos, como pau-brasil e diferentes tipos de produtoras de seivas, e insetos e suas formações (teias, ninhos, caminhos de cupins, etc).
Uma pausa para o guia nos falar um pouco sobre esta árvore, que é oca por dentro.
Ao descermos das canoas, tivemos que enfrentar uns bons metros de chão com muita formiga (muita mesmo, e elas não eram pequenas...não consegui nem fotografar de tão estressada que eu estava), mas na prática, ninguém foi comido por elas. A maioria das formigas da Amazônia são "silvestres", ou seja, só comem folhas. A menos que se sintam atacadas, elas não fazem nada mesmo. Claro que não foi muito agradável, e eu quis andar o mais rápido possível pra evitar que elas tivessem tempo de subir pelo meu tênis. No fim do passeio, eu tinha duas formigas grudadas na minha meia (porque eu pisei nelas pra tirá-las dali) e nenhuma picada.

O chão da Amazônia, já sem presença intensiva de formigas
O caminho não é 100% cheio de formigas, logo, se você também odeia formigas, fique tranquilo, a menos que você fique muito tempo parado em algum lugar, ou coloque a mão onde não deve, elas não vão te atacar.

O guia, munido de um grande facão, avisa para não nos apoiarmos em nada, pois as árvores têm formigas, aranhas, cobras, espinhos! Ele vai abrindo espaço para passarmos pelas árvores e pela trilha. As copas das árvores fecham o ambiente, que fica mais escuro e quente.

Veja as fotos, elas "falam" mais que palavras (clique nas imagens para vê-las em tamanho maior).

Espinhos, muitos espinhos!!! e teia de aranha nos espinhos!
Uma árvore enroscada na outra ( não, não é uma cobra. Aliás, pra quem tem medo de cobra, uma boa notícia: não vimos nenhuma durante as duas horas e meia de trekking)

Folhas...
Caminho de cupins

A copa das árvores

Veja a densidade de árvores da floresta
Um dos caminhos por onde passamos


0 comentários

Gostou do que leu? Comente aqui ou compartilhe a postagem

Reserve seu hotel pelo Booking

Booking.com

Siga o Receitinhas e Viagens no Pinterest