curaçao

Pesquisas relacionadas a curaçao fotos
onde fica curaçao
curaçao o que fazer
onde fica curaçao no mapa mundi
curaçao mapa
pacotes curaçao
curaçao caribe precisa de visto
curaçao dicas
curaçao cvc
Template de estrutura de post para SEO

Curaçao - O que fazer

Insira aqui algumas ideias de título para seu post. Não se esqueça de incluir nele a palavra-chave para a qual você quer se posicionar no Google. Você pode seguir a fórmula abaixo:
Frase de ação/resultado + palavra-chave com bom volume de buscas + gatilho que resolve a dor do seu público
Dica: utilize o planejador de palavras chave do Google, citado no post, para identificar qual ou quais palavras-chave possuem volume de buscas interessantes para o seu título. Lembre-se de escolher uma palavra-chave foco para ranquear em cada post. Evite criar títulos muito que ultrapassem 65 caracteres, para que ele não apareça cortado nos resultados dos mecanismos de busca.
[Coloque seu título aqui]

Resumo e meta-descrição


Confira dicas de como aproveitar o melhor de Curaçao, no Caribe



A ilha de Curaçao fica nas chamadas Antilhas Holandesas, dentro da região do Caribe. A cidade de Willemstad é dona de uma atmosfera incrível, uma mistura de povos e culturas que faz esta ilha tão única e encantadora. Entre os loiros holandeses e os negros de origem jamaicana, todos parecem estar sempre numa boa, tranquilos e dispostos a curtir a vida.
Seria realmente um pecado se fosse o contrário, afinal, como estar de cara feia em meio a um paraíso? Andando pelas ruas de Punda, vendo de perto as casinhas típicas que tinha o oceano brilhando ao fundo, quis me mudar pra lá instantaneamente. Não tenho dúvidas de que Curaçao é um dos melhores destinos caribenhos para quem gosta de sair, de curtir a natureza e conhecer pessoas e culturas diferentes. Do outro lado, há o distrito de Otrobanda, que também conta com alguns hotéis, mas é menos turístico e reduto de locais.
Fiquei apenas cinco dias por lá, que foram o suficiente para me apaixonar. Neste período, tentei conhecer o máximo de coisas possíveis e não aluguei carro, coisa que muitos turistas fazem por conta da ilha ser grande e ter muitas praias. O hotel que eu escolhi foi no bairro de Pietermaai e eu não poderia ter feito escolha melhor. Fica pertinho do centro, de ótimos restaurantes, e caminhando numa linha reta alcançava praias facilmente.

Além disso, vale também pegar carona nos táxis compartilhados. Os motoristas são super simpáticos, meio doidos, mas dirigem com tranquilidade e o melhor: cobram pouco. No caso, além de ter você como passageiro, também carregam outras pessoas na van e vão deixando a galera no meio do caminho, sem fazer muitos desvios, assim não atrapalha ninguém.
Curaçao infelizmente foi tomada por praias particulares, dominadas por resorts. A boa notícia é que as praias são abertas e em muitas delas eu sequer paguei alguma coisa, mas talvez tenha sido sorte. Se você não utilizar as cadeiras dos hotéis, que são pagas, ninguém vai te cobrar nada além da chamada taxa ambiental, que custa cerca de três dólares, mesmo preço médio das espreguiçadeiras.
Resumindo a minha viagem e experiência pessoal na ilha, aqui vão algumas dicas:
Onde comer:
Kome
Sou suspeita pra falar do Kome porque é o lugar onde eu provei o melhor risoto da minha vida, feito com trufas brancas. Talvez tenha sido sorte, ou meu paladar não estava dos mais aguçados, ou estava simplesmente muito bom. Meu namorado pediu o peixe do dia, que era um Red Snapper, enorme e que veio inteirinho no prato. Apesar de achar estranho, também estava ótimo e crocante. E ah! O Kome também é um lugar bem aconchegante e intimista, ideal para a hora do jantar.

Ginger
Especializado em comida caribenha, o Ginger é um cantinho super intimista aos fundos de um outro restaurante, então cuidado pra não confundir. É um lugar bem legal pra jantar, com mesinhas do lado de fora e sofás confortáveis. Pedi um camarão na brasa com tequila e limão, acompanhado de arroz de coco, que estava delícia.

Mundo Bizarro
Posso transportar esse restaurante pra SP? O Mundo Bizarro é um lugar todo lindo, meio bucólico e romântico. Além de ser intimista e super decorado, tem uma comida deliciosa! Eu pedi um quiche vegetariano que estava dos deuses e apesar da foto não mostrar muito, ele é enorme. Meu namorado pediu risoto com salmão, que também estava ótimo. De sobremesa, creme brulée e creme de Aloe Vera – sim, consomem muito e inclusive pra comer -, com sorvete de hortelã, super suave e gostoso. Eles também servem café da manhã aos domingos e tem algumas noites de tango.

Onde beber:
Miles
O Miles é um bar de jazz bem despretensioso, ptinho de onde eu me hospedei, então eu fui mais de uma vez. O atendimento, pra variar, não é dos melhores, mas uma vez que você é visto, o atendente te fala o cardápio. Sim, porque não tem nada impresso. É um bom lugar pra happy hour, ouvir música e tomar uma cerveja, como a Amstel e a Brion, feitas em Curaçao, além de drinks, como o Mojito.

Chill Bar
O Chill é um lugarzinho onde você não quer sair mais. Basicamente, é um quiosque todo praiano em Mambo Beach, no espaço do Lions Dive & Beach Resort, onde você pode se sentar no balcão ou nas mesas na areia, ou até mesmo se jogar nas redes que estão entre as palmeiras. O cardápio conta com hambúrgueres artesanais feitos na grelha, pratos de carne acompanhada de salada, paninis e drinks a um preço tão amigável quanto o bar.


Zanzibar
Esse bar com influências da África Oriental fica na praia de Jan Thiel e ao cair da noite vai ficando cada vez mais animado. Além de servir café da manhã, almoço, jantar, petiscos e drinks, também aluga cadeiras de praia, tem banheiro e chuveiro disponíveis e conta com um spa ao ar livre. Ou seja, o tratamento é completo. Eu fui durante o almoço sem muita fome e pedi um combo onde vinham algumas pequenas porções de várias coisas, como camarões, um caldo, pães e acompanhamento. Além de dividir com o meu namorado, surgiu uma outra bela companhia que fez meu dia ainda mais feliz.

Onde ir:
Sea Aquarium
O aquário de Curaçao é enorme, bem interessante pra ver de perto as espécies marinhas. O mais legal é que os animais maiores, como golfinhos, tubarões e leões marinhos, ficam no próprio oceano e circulam por toda a área que envolve o estabelecimento. A cada hora tem apresentações com algum dos animais, incluso no valor da entrada, havendo também a chance de nadar com eles, atividade paga à parte. Achei o preço justo pelo o que pude ver e o passeio com certeza agrada as crianças. O lugar também tem uma lanchonete de boa qualidade e logo ao lado há algumas praias onde você pode comer e dar um mergulho depois, como a Mambo Beach.

Jan Thiel
Essa praia particular é um tanto longe do centro, mas é muito linda e vale o esforço. Apesar de atrair os ricaços, em sua maioria, tem espaço pra todo mundo e não tem essa de alguém te olhar torto. A infraestrutura é muito boa, com vários quiosques, onde além de servirem comida e drinks, dá para alugar equipamentos de mergulho e cadeiras confortáveis.

Mambo Beach
A Mambo também é privada e também tem bastante infraestrutura para os turistas, com banheiros próximos, algumas lojas, bares, quiosques e, acima de tudo, um mar lindão bem na sua frente com uma plataforma onde a galera se joga pra mergulhar.
Visite também: Daaibooi Beach (praia local), Playa PortoMari e Kokomo Beach.
Não valeu a pena
Eu prezo muito por praias que não são particulares, e pensando nisso fui até Caracasbaai e me arrependi. Simplesmente não dá nem pra ficar na areia, porque além de ter um espaço bem pequeno, é um tanto suja. Também fui até a praia Blue Beach, dentro de uma enorme propriedade particular, bem longe do centro, e acho que pela distância toda acabou não valendo a pena, pois poderia ter visitado outro lugar. Claro que é maravilhosa, mas talvez seja ideal para quem tem crianças, porque é bem tranquila e atrai muitas famílias.Onde dormir:
St. Tropez Ocean Club
Funcionando como um clube de dia e lounge a noite, o St. Tropez é também um hotel em Pietermaai. Os quartos são lindos, confortáveis e espaçosos, com direito a varanda com vista para o oceano. Por ser aberta ao público, que paga uma quantia para entrar, a piscina infinita é tão concorrida que pelas manhãs já fica lotada de gente tomando sol, podendo não sobrar um espacinho para você. Durante o dia, o bar serve café da manhã e refeições, e à noite tem happy hour e jantar. Aos fins de semana, vira point de “esquenta” pra balada, mas a música diminui por volta das 2 horas da manhã e sinceramente nem fica tão alta. Eu não me incomodei com isso, mas vale o aviso.
Kontiki Beach Resort
Fiquei bem na dúvida em relação a esse hotel, pertinho de Mambo Beach. São bangalôs de madeira e tem uma piscina incrível, então é bem atraente, especialmente para casais.


Boutique Hotel Klooster
Também em Pietermaai, este hotel tem um bom custo benefício. Tem uma pequena piscina no pátio com redes para descanso. Apesar de simples, acho que cumpre a função principal de oferecer um bom lugar para dormir. A localização é ótima, tem tudo pertinho e serve café da manhã, pago à parte, já que isso é praticamente uma regra nos hotéis d

Curaçao | Entendendo a ilha

Tudo começou com um planejamento meio furado para passar o recesso da Copa do Mundo na Europa(iríamos intercalar entre curtir o clima da festa no Brasil, ir a alguns jogos e viajar, claro :) ). A ideia era uma semaninha na França, com direito a Paris e Mont Saint Michel, mas os preços das passagens não estavam nada convidativos… Tivemos que mudar nossa estratégia e começar o planejamento a partir de promoções de passagens aéreas. E de repente aconteceu: Aruba ou Curaçao por R$900 + taxas, bem nos nossos dias livres.
A emoção foi imediata! Caribe! Mas confesso que bateu aquela dúvida.. Aruba? Curaçao? Os dois? “Mas não seria o primeiro quase uma cópia de Miami, e o segundo apenas para mergulhadores?” E foi aí que a gente se enganou muito.. e viu que as Ilhas ABC reservam muito mais do que qualquer clichê, qualquer resort, e até mesmo “qualquer” praia de águas completamente azul turquesa e cristalinas.. E que sim, a vida marinha é incrível; mas não para por aí!



Curaçao – o dia em que fomos além das fotos!

Curaçao, para a surpresa de muitos, teve colonização holandesa e hoje é um país autônomo pertencente ao Reino dos Países Baixos. Junto a Aruba e Bonaire, faz parte das Ilhas ABC: três pequenas ilhas localizadas bem próximas à costa norte da Venezuela. Entretanto, não há qualquer relação da ilha com o país (e nem há muita semelhança também com Los Roques – o arquipélago que, sim, pertence à Venezuela – além das águas maravilhosas e da localização geográfica). | Veja nosso relato de 5 dias em Curaçao! |

O idioma oficial da ilha é o Papiamento, mas fala-se fluentemente o inglês, o holandês e o espanhol por lá. A moeda é o Florim (Naf), que nessa época tinha um valor um pouco melhor que o real: U$1,00 = aprox Naf 1,70; mas o dólar americano é totalmente aceito (em alguns casos, entretanto, você receberá o troco em florins).
A ilha tem 444km2, mais ou menos o tamanho de Florianópolis. Dá para visitar praticamente todos os pontos principais da ilha em sua viagem – mas para isso será necessário alugar um carro. E essa talvez seja a principal dica do destino: um carro é essencial! A capital da ilha é Willemstad, que está dividida em Punta e Otrobanda (que significa o outro lado). Uma ponte flutuante faz a ligação entre as duas áreas.
O nome Curaçao, ao contrário do que muitos imaginam, nada tem a ver com “coração”, mas sim “curação” – a arte de curar. Ele foi dado por navegadores portugueses que se curaram do escorbuto ao chegar na ilha, provavelmente por causa dos frutos que comeram ali. Acredita-se que, como os holandeses não conseguiam pronunciar o “ão”, acabaram chamando a ilha de Curaçao.
Curaçao na nossa imaginação
Antes de nossas pesquisas e principalmente antes de chegar lá, nosso conhecimento sobre Curaçao podia ser basicamente resumido nessa foto abaixo, as casinhas de construção holandesa de Punda e Otrobanda:

Eu até cheguei a pensar que a ilha seria mais rústica, com opções de pequenos hotéis e até dificuldades para se encontrar bons restaurantes. Mas nada a ver!
Mapa de Curaçao
A ilha tem uma super estrutura – apesar de ter também áreas um pouco mais simples, outras desertas e umas até mesmo desérticas. As praias são maravilhosas, existem infinitas opções de lazer e esportes na água, o clima é bom o ano inteiro, há pouquíssima chuva e claro, inúmeras escolas de mergulho e points perfeitos para observação da vida marinha, seja de cilindro ou snorkel.
O mapa abaixo mostra bem como é Curaçao: opções de hospedagens e praias com mais estrutura estão no sul, próximo à capital Willemstad (onde está o famoso centrinho da foto acima); praias mais virgens estão próximas ao norte ou, mais precisamente, entre a ponta norte e a capital. Toda essa parte superior do mapa, é a costa menos explorada. Não há muitas opções de praia para banho e o mar é mais agitado. O turismo se concentra em peso na parte inferior.
Ali, pequeninha, à direita de Curaçao, está Klein Curaçao, uma pequena ilha sem qualquer estrutura que é visitada a partir de passeios de barco que duram um dia.

Clique na imagem para ampliá-la (e depois use a lupa para ampliá-la ainda mais!). Indicamos com retângulos azuis os pontos de interesse, com estrelas amarelas as vistas ou praias mais belas, com a casinha laranja os principais resorts e com setas azuis a rota que fizemos para conhecer as praias.
Estrutura da ilha
Curação está bem servida de resorts, como o Marriot, Hilton, Renaissance, Livingstone, Santa Barbara, Sunscape (esses dois últimos até com opções All Incluvise – mas a gente não indica: falaremos sobre isso adiante) entre outros. Mas a maioria dos hotéis segue uma linha mais européia que americana (o que, na nossa opinião, acaba dando mais charme a ilha), como é o caso do Kura Hulanda Village e Spa, localizado no centro da ilha.
Há também opções de altíssimo luxo e perfeitas para uma lua de mel, como o exclusivo Baoase. Para quem gosta de alugar apartamentos encontramos o Bluebay (nos hospedamos nele e adoramos) e o Saint Tropez Suites. E há ainda opções mais jovens e econômicas, como o super charmoso Scubalodge, mais focado em mergulho mas bem preparado para qualquer hóspede (gostaríamos de ter passado algumas noites aí, mas ele estava lotado).
Opções gastronômicas também não faltam: os restaurantes Tinto, Zest, Cru, Zanzibar, The Wine Cellarsão ótimas opções para jantar, e cabanas de praia como a Hemingway não ficam atrás para a hora do almoço. O próprio Baoase tem um restaurante maravilhoso que vale a pena, pelo menos um diazinho, ir conferir!
Jan Thiel
Na nossa opinião, a região mais indicada para a hospedagem de jovens é Jan Thiel (marcada no mapa). Localizada mais ao sul da ilha, a cerca de 15km do centro.

Ali tem de tudo: praia linda, beach blubs, ótimos restaurantes, hotéis a preços mais acessíveis, festas (algumas na areia, com banda, outras à noite, com DJ, como vimos acontecendo no Zanzibar), opções de mergulho, esportes aquáticos, quadra de beach tennis… E ainda é possível sair pra jantar sem depender de carro ou do restaurante do hotel.
Jan Thiel é uma região quase completamente holandesa, o que garante um clima bem charmoso e a deixa nada americanizada. Dá pra sentir bem que Curaçao teve colonização européia.
A praia é privada e o acesso é pago: U$3,50 por pessoa.
Seaquarium Beach
A região do Seaquarium também é bem agradável, repleta de cabanas para almoço, alguns eventos na areia (também com banda), piscinas, bares e até umas lojinhas bem interessantes. É ai em que encontramos o Aquário, onde pode-se assistir a shows e nadar com golfinhos. Mas é uma região badalada (e também onde encontramos algumas opções all-inclusive). Por ser bem próxima ao centro, costuma lotar, principalmente nos finais de semana e na alta temporada. É nela em que está localizado talvez o mais famoso Beach Club da ilha, o Mambo Beach. Ali rolam festas e shows.
Os principais resorts
Os resorts das redes mais conhecidas (Marriott e Hilton) são relativamente distantes das áreas de maior movimento, como as duas mencionadas acima, mas possuem uma área de lazer bem ampla e uma boa praia. Eles estão exatamente um do lado do outro, na Baía de Piscadera a dez minutos ao norte de Willemstad.
O Renaissance, também muito conhecido, já fica em uma região mais central, próximo a um shopping, alguns restaurantes e bares. Ele está ao lado do complexo de restaurantes do Rif.
clip_image100

Curaçao, entretanto, não é um destino pra se escolher um super hotel e passar nele o dia todo. Ao contrário, o interessante da ilha é pegar o carro e explorar as regiões mais selvagens e praias mais belas. Mesmo porque, as praias de hotéis não são assim tão bonitas (não me entenda mal, são lindas! Com aquele mar não tem como não ser.. mas há praias mais encantadoras em outros pontos). A ilha é um destino perfeito para se curtir atividades ao ar livre, um mar maravilhoso, esportes e mergulho; e não o hotel. É por esse mesmo motivo que não indicamos a opção all inclusive – nada que te prenda ao hotel será muito interessante.
Praias de Curaçao
Curaçao possui poucos trechos do seu litoral com praias. Elas são sempre pequenas, com mar calmo e tons de azul ou verde. E, curiosamente, grande parte dessas praias é artificial ou foi “melhorada” pelo homem. Isso até poderia nos incomodar um pouco, uma vez que quebra aquele ar natural da ilha mas, na verdade, agradecemos muito por terem pensado nisso: imagina ver aquele mar maravilhoso e não poder chegar até ele ou passar um tempinho na areia curtindo o visual?
Entretanto, a maioria das praias artificiais pertence a hotéis ou clubes de praia e estão localizadas na região centro-sul da ilha. Já as praias naturais, ou as que foram menos modificadas, ficam na direção de Westpunt (noroeste). Essas são as mais belas praias de Curaçao e estão mais
Se locomovendo na ilha
É indispensável o aluguel de um carro para se locomover pela ilha e visitar as praias que vão além daquelas em frente a seu hotel. Ele também será útil para ir jantar – ninguém merece comer no restaurante do hotel todo dia né?! :) O transporte público da ilha não é eficiente e, como as distâncias não são assim tão curtas, o preço do taxi acaba saindo mais caro que o do aluguel do carro.
Não há necessidade de alugar nada muito elaborado. O mais econômico, 1.0, deu conta do recado direitinho. Existem várias locadoras no próprio aeroporto. Alugue por lá.
A ilha não é tão bem sinalizada e os GPS’ são inexistentes ou caríssimos. A saída é pegar um mapa e seguir com ele mais sua intuição. Você provavelmente irá se perder :) mas logo logo achará o caminho!

Atividades em Curaçao
As principais atividades em Curaçao são provavelmente o mergulho e o snorkel, mas há muito mais o que fazer por lá. Flyboard, passeios de jet ski ou lancha, Parasail, SUP e beach tennis estão disponíveis em diversos pontos da ilha, principalmente em Jan Thiel e Seaquarium Beach. Tentem aproveitar a maioria deles, principalmente os que envolvem água – o azul turquesa é muuuuito convidativo!
clip_image110
clip_image112
Curaçao também tem opções de turismo em que visita-se um lado mais desértico e algumas formações rochosas interessantes, além de cavernas, um parque nacional e uma bela e enorme plantação de Aloe Vera. É possível fazer variados passeios de buggy por ali.
Não deixe de ler nosso relato de 5 dias em Curaçao!
Quando ir? Clima, Chuva e Temporadas
A ilha pode ser visitada o ano todo: a probabilidade de chuvas é bem baixa e mesmo quando elas aparecem, são bem passageiras. Curaçao não está na rota dos furacões. A alta temporada é de novembro a março, quando é inverno na Europa e os holandeses aproveitam para curtir uma prainha no Caribe. Junho e julho são meses que costumas ter ventos fortes, mas nada que possa atrapalhar (fomos em junho e até achamos boa a ventania – ajudava a enganar o calor! ;) ).
A água tem uma temperatura perfeita, nem quente nem fria. Fizemos um mergulho em que a temperatura registrada foi de 28C! Excelente!
Na tabela abaixo, indicamos de amarelo a alta temporada (preços estarão mais elevados e a ilha mais cheia) e de laranja o período em que ocorrem algumas chuvas eventuais.
clip_image113
E aí? Já se animou para conhecer esse paraíso do Caribe?
Acompanhe nossos próximos posts. Vamos contar em detalhe nosso roteiro, explicar um pouquinho sobre os hotéis, os passeios, as praias, e mostrar o que é imperdível e o que fazer caso você passe por lá de navio e tenha apenas um dia na ilha.

DICAS DE CURAÇAO

DESCOBRINDO OS AZUIS DO CARIBE
Caribe, Curaçao | Willemstad
por Lala Rebelo, 9 novembro 2014
Encontre aqui nesse post todas as dicas de Curaçao, uma das ilhas mais bonitas do Caribe (entre as minhas preferidas!), vizinha de Aruba e Bonaire (formando juntas as Ilhas ABC, fora da zona de furacões do Caribe). Todas as informações para a sua viagem: onde ficar (os melhores hotéis como Papagayo, Baoase e Marriott), os melhores restaurantes (como Mundo Bizarro e Zest), as praias mais lindas e imperdíveis (não perca Kenepa Grandi!!), a capital WILLEMSTAD com suas casinhas coloridas, como chegar, clima, idioma, moeda, como combinar sua viagem com Aruba e muito mais!!
Praia Kenepa Grandi em Curaçao | foto: Lala Rebelo
***
Ah, Curaçao… Esse foi o destino que escolhi há mais de 1 ano para passar meu aniversário (01/11) e não poderia ter feito melhor escolha! Foram dias lindos com muuuito sol e azul turquesa.
Confesso que mudei de opinião depois que fui a Curaçao. Pensava que seria muito parecido com Aruba (clique aqui para ler o post). Mas, apesar de já terem feito parte das Antilhas Holandesas e de serem vizinhas, as ilhas são beeem diferentes. As duas são maravilhosas, claro! Mas achei Curaçao ainda mais bonito, mais rústico… E Aruba tem muito mais estrutura, muito mais resorts, mais restaurantes e está mais preparada para o turismo. O que não quer dizer que Curaçao não esteja. São estilos diferentes, Aruba é mais american, Curaçao tem uma “personalidade” muito própria. Isso torna Aruba + Curaçao (juntos, na mesma viagem) um super destino para suas próximas férias. Não sei nem dizer qual amei mais…
As principais semelhanças são: o idioma falado (Papiamento: uma mistureba divertidíssima de português, holandês e outras coisas – clique aqui para ouvir), a moeda (Florin, mas todos aceitam dólares americanos e cartões de crédito) e as praias de areia branca e água azul turquesa.
Curaçao é o “C” das Ilhas ABC (Aruba, Bonaire e Curaçao),  que ficam pertinho do litoral da Venezuela. Com 160.000 habitantes, é a maior das 3. Estão fora da zona de furacões do Atlântico (entre julho e novembro). Ou seja, você pode ir em qualquer época do ano por causa disso e também por causa do clima (média anual de quase 30°C!). Perfeito!
clip_image116Curaçao e Ilhas ABC no mapa (à esquerda de Curaçao está Aruba e à direita, Bonaire)
Quer viajar para o Caribe? Então acho que você também vai gostar de conhecer:
Ou clique AQUI para acessar a página com TODOS os posts com dicas de destinos no Caribe.
Curaçao entrou na minha lista de “As ilhas mais bonitas do Caribe – veredito final”.
Praia Porto Mari Beach, em Curaçao | foto: Lala RebeloCasinhas holandesas coloridas em Punda (na capital de Curaçao, Willemstad) | foto: Lala RebeloDelicioso bar do restaurante Zest Mediterranean, em Jan Thiel, Curaçao | foto: Lala RebeloO hotel mais luxuoso da ilha de Curaçao – Baoase | foto: divulgação

COMO CHEGAR / ONDE FICAR

*** VÔOS ***
Para chegar em Curaçao, saindo do Brasil, você pode voar:
  • Avianca (conexão em Bogotá, Colômbia)
  • Copa Airlines (conexão na Cidade do Panamá)
  • American Airlines (conexão em Miami, EUA – a mais longa das opções e você ainda precisa de visto americano para fazer a troca de aeronave no país)
Brasileiros NÃO precisam de visto para entrar em Curaçao. Apenas passaporte válido e passagem de ida e volta.
Uso o site da eDestinos para pesquisar e comprar passagens aéreas e gosto bastante! O site é cheio de ofertas para vários destinos. Clique aqui para acessar.
Do avião já dá pra ter uma ideia da cor do mar que te espera…
*** ALUGUEL DE CARRO ***
Em Curaçao é ESSENCIAL alugar um carro, pois não é aquele tipo de Caribe que você pode ficar dias na “praia do hotel” (como Punta Cana, por exemplo). A ilha é grande (tem praias a mais de 30 minutos de carro) e os lugares mais lindos, mais azuis, mais incríveis nem têm hotéis por perto.
A maioria dos hotéis tem sim praia em frente (a do Marriott, que fiquei, é bem bonita) mas nada que se compare às praias de Westpunt (vou contar aqui). Outros hotéis tem praias pequenas, “modificadas” pela engenharia. Claro que você pode ficar um dia curtindo a estrutura do hotel, mas já que você foi atééé lá, melhor conhecer tudo, né?!
Alugamos um Kia Picanto e custou 95 dólares (3 dias). Já na saída do aeroporto tem um galpão com todas as grandes locadoras (Avis, Budget, Hertz, Alamo, National etc.). Pegamos e devolvemos lá. Nós sempre alugamos o carro através da Rentalcars e funciona perfeitamente. Pesquise aqui.
* Quando você aluga por esse link, eu ganho uma pequena comissão, mas você não paga nada a mais por isso. Obrigada
Achei os caminhos beeem confusos em Curaçao! Mas ainda bem que o app Waze funciona lá (já o Google Maps, esqueça…)! Trace a rota com o WiFi do hotel antes de sair que, no caminho, mesmo sem internet, dá certo! Mas é bom ter SEMPRE um mapa dentro do carro (a Budget nos deu um).
Rumo às praias de WestpuntMuito cuidado pra não atropelar as iguanas que cruzam o caminho… rs
*** HOTÉIS ***
Região: PISCADERA
Fiquei lá. Gostei bastante pois tem uma baita estrutura (a piscina é linda) e a sua praia é a “praia de hotel” mais bonita de Curaçao. É bem grande, areia branquinha… Mas ficamos apenas metade de um dia nela (pois como já falei, tem muita coisa legal para fazer “além do hotel”).
No geral, a localização é boa, pois fica no “meio” entre as praias do norte (Kenepa, Cas Abao, Porto Marie…) e as praias do sul (Jan Thiel, Seaquarium…), então não fica tão longe ir para qualquer uma delas de carro. Só que não há absolutamente nada para se fazer fora do hotel nessa região, nenhum restaurante, nada. Tem que ir pra Willemstad, a capital.
Não tinha café da manhã incluído e custava 20 dólares por pessoa. Mas no próprio hotel tem uma cafeteria no estilo Starbucks onde você pode comprar croissants e café por muito menos.
Reserve aqui.


Área de praia do Marriott

Fica ao lado do Marriott, então os comentários sobre a localização são exatamente os mesmos. Só achei a área de praia dele bem pequena e o edifício bem “caidão”, mas não o conheci por dentro. Quem ficou lá, gostou. E me disseram que tem um bom custo-benefício.
Região: próximo a WILLEMSTAD
Se você vai pra Curaçao de lua de mel (ou se está com mais budget), esse hotel 5 estrelas é o lugar pra você ficar. Fomos jantar lá (recomendo!!!) e pude conhecer um pouquinho. Incrível! Os funcionários tem um cuidado absurdo com tudo. As instalações são lindas. Tenho a impressão de que lá você se sentirá um “hóspede especial” e não “mais um” como na maioria dos grandes resorts. Fica próximo a Willemstad, a capital, e das praias do “sul”, mas também não há nada nos arredores do hotel para se fazer a pé (apesar de estar bem pertinho de Punda, um dos bairros de Willemstad que vou comentar aqui).
Reserve aqui.
Área de praia do Baoase | foto: divulgaçãoJacuzzi da Ocean Front Suite | foto: divulgação
Região: JAN THIEL
O que mais gostei nesse hotel foi a localização. Jan Thiel é uma região mais viva, mais moderninha e pouco conhecida pelos brasileiros (lotada de holandeses). Apesar da praia não ser tão linda como as do “norte”, amei o clima do lugar. Logo ao lado do hotel, vários restaurantes,beach clubs… A piscina com borda infinita é linda e o bar/restaurante é ótimo. Caso não se hospede no Papagayo, recomendo passar um dia lá (tem um beach club aberto a não-hóspedes). Quando for de novo pra Curaçao, quero ficar lá por causa da região (ou no Baoase pelo “requinte”, caso haja dim dim hahaha).
O lindíssimo e descolado Papagayo Design Hotel | foto: divulgaçãoO hotel Papagayo visto da piscina | foto: divulgação

↑ Voltar ao começo do post

COMES E BEBES

*** Região: Willemstad – OTROBANDA ***
Um forte construído em 1828 para proteger a cidade. Hoje faz parte do complexo do Renaissance Resort. Dentro do forte existem várias lojas, bares e restaurantes. Indico o Bistro Le Clochard para uma refeição (almoço ou jantar) mais “fina”, com vista linda da baía, ou CRU Steakhouse & Wine Bar para comer uma bela carne (ambiente mais formal). Veja todas as opções de restaurantes no Rif Fort e Renaissance Mall aqui.
clip_image145
clip_image147
Li ótimas recomendações desse lugar mas acabamos não entrando. Reserve uma mesa na varanda para ter uma vista linda das casinhas coloridas que estão do outro lado do canal, em Punda, e prove as especialidades da cozinha local. Reserve pelo site ou pelo telefone (+5999) 462-5999.

*** Região: Willemstad – PUNDA e arredores ***
  • Baoase Culinary Beach Restaurant
Se você está pensando em um jantar romântico em Curaçao, o restaurante do Baoase Resort (o super hotel que citei acima) é o lugar! Foi o escolhido para comemorar meu aniversário!! Pé na areia… Super comida, super vinhos, super atendimento. Os pratos estavam ótimos, mas a entradinha que pedimos foi sensacional: queijo de cabra com mel e geléia de beterraba no molho de tomates e cravos. Hum… Reserve sua mesa ligando para (+5999) 461-1799, e se der, marque para o pôr do sol.  Não fica exatamente em Punda, mas é bem próximo.
staurante do hotel Baoase em Curaçao | foto: divulgação

Meu prato: beef sirloin grelhado com purês de batata e cenoura e cebolasPrato do Ri: peixe-leão assado servido com repolho verde e risoto de cogumelos, com molho de lagosta e alcaparras
Esse restaurante pequenininho e muito divertido (adorei a decoração) fica em um bairro “colado” em Punda, chamado Pietermaai. Você também pode ir só para tomar drinks no bar. O menu é bem variado (nós provamos várias entradinhas) e tudo estava muito gostoso. Fomos sem reserva em uma segunda-feira a noite e estava praticamente lotado. Se não quiser chegar lá e ter que esperar, melhor reservar pelo site ou pelo telefone (+5999) 461-6767.



*** Região: JAN THIEL ***
Essa é a região que falei que amei.  Um restaurantinho ao lado do outro, bares, beach clubs, espreguiçadeiras na areia…
Menu bem variado (massas, sanduíches, carnes, peixes…). Fomos um dia no BAR do Zest assistir ao pôr do sol (é imperdível!) e no outro dia tomamos café da manhã lá. É também clube de praia durante o dia, com espreguiçadeiras e serviço de garçom na areia.
BAR do Zest Mediterranean… Perfeito para o pôr do sol!

Do mesmo grupo do Zest, Culinary Beach Restaurants, outros dois restaurantes que também ficam na praia de Jan Thiel: TINTO, de comida argentina, e Zanzibar, famoso pelas pizzas.
  • Papagayo Beach Club Restaurant
Jantamos um dia lá e adoramos (tanto a comida como o clima do lugar). Meu risoto de vinho tinto com mel estava delicioso. Fomos no domingo e tinha também um festival de sushi (claro que o Ri comeu isso! hehehe).

Achamos um vinho AMARAL!!! (meu último sobrenome)

O QUE FAZER / ROTEIROS

DURAÇÃO DO ROTEIRO
Fizemos em 3 dias e achei muito pouco. Minha sugestão abaixo é para 4 dias inteiros em Curaçao. E mesmo assim é considerando que você vai acordar cedo e aproveitar até o último minuto! Para os mais tranquilões, já reservem logo pelo menos 5 dias na ilha!
*** Dia 1 – Westpunt ***
Comece o dia dirigindo rumo a Westpunt (“norte”)…
  • Kenepa Grandi & Kenepa Chiki
São duas praias uma ao lado da outra: a grande (chamada também de Grote Knip ou Playa Abou) e a pequena (Kleine Knip). Fomos apenas na grande e só passamos pela menorzinha. Sério, Kenepa Grandi tira qualquer um do sério!!! Achei a praia mais linda e mais azul de Curaçao.
É pública (ou seja, você não precisa pagar para entrar. É… Curaçao tem muitas praias pagas.) e não tem NADA de estrutura. Leve cangas para esticar na areia e garrafinhas d’água. Como é pública, enche mais que as outras, principalmente nos fins de semana. Por isso indico chegar bem cedinho. Ficamos meio dia lá! Amei, amei, amei!!!
Praia Kenepa Grandi em Curaçao
Logo depois de Kenepa, passamos por uma praia que se chamava Playa Jeremi só pra dar uma olhadinha… Bem bonita (dica da Poliana Carvalho).

Vá “descendo” de Kenepa rumo ao sul da ilha e pare em Cas Abao Beach. A entrada parece até a de um condomínio.
Pagamos 12 Florins (uns US$6) para entrar na praia (o guarda disse que nos cobraria 10 se a gente soubesse quem era o palhaço do Brasil. Citamos vários nomes errados e por fim ele nos disse que era o Tiririca!! haha! Vê se pode…) + as espreguiçadeiras. A estrutura que eles oferecem é bem básica. Cadeiras/espreguiçadeiras tem de sobra, duríssimo é achar lugar com sombra. A praia é bem grande e bem linda. Tem também um barzinho onde compramos nosso “almoço” (lanchinhos de praia) e bebidas.

Acho que o nosso almoço acabou atraindo as iguanas, que foram descendo das pedras e encheram a praia! HAHAHA. Melhor comer lá no bar mesmo e não na areia. Aliás, em Curaçao, iguana é como se fosse pomba. Em poucos dias na ilha, você verá centenas delas!

*** Dia 2 – Playa Porto Mari & Willemstad ***
Das praias do “norte”, achei Porto Mari a com melhor estrutura. É bem bem linda também e o mar é de um azul maravilhoso. Foi o lugar que mais gostei de fazer snorkel, pois tem um arrecife duplo de coral. Muita gente faz mergulho de cilindro saindo desta praia. A entrada é paga (US$2,50 por pessoa e US$3,50 o aluguel da cadeira) e o bar tem petiscos. Chegue cedo.

No caminho de volta da praia você vai passar por dois lugares legais:
Se você está procurando um souvenir lindo pra levar pra casa, é o que não falta neste lugar, que é o ateliê da artista local Nena Sanchez que pinta quadros coloridíssimos.
Flamingos na Salina Jan Kok
Logo depois da galeria da Nena Sanchez, próximo a Willibrordus, há uma salina onde é possível avistar dezenas de flamingos quase que de perto. Demos uma rápida passada.

Pare seu carro próximo ao Renaissance Mall e vá caminhando a pé.
Willemstad é a capital de Curaçao e o “centrinho” (a parte turística) está dividido em duas regiões: OTROBANDA e PUNDA. Elas estão separadas por um canal e ligadas por uma ponte peatonal (a ponte para carros, que é altíssima por sinal, fica mais atrás). Essa ponte exclusiva para pedrestres, de madeira, às vezes está “recolhida” para a passagem de grandes navios. Quando isso acontece, barquinhos fazem a travessia gratuitamente.
– OTROBANDA“Outro lado” em Papiamento. Era a parte mais pobre (onde viviam os escravos) mas hoje, graças ao novo porto que foi construído para receber cruzeiros g-i-g-a-n-t-e-s-c-o-s, ao Renaissance e à restauração do Rif Fort, a região está cada vez mais viva. É de Otrobanda e também da ponte peatonal que cruza o canal que você tirará as fotos mais bonitas com as famosas casinhas coloridas holandesas ao fundo (elas ficam em Punda).
– PUNDAÉ o lado mais antigo, mais desenvolvido e mais rico (onde viviam as pessoas com posses no passado). É onde estão as casinhas coloridas holandesas, cartão postal de Curaçao.
Caminhe um pouco pelas duas regiões. Mas melhor que seja de DIA.
Se está querendo fazer compras (muitas marcas internacionais, jóias, relógios… Tudo livre de impostos), aproveite! Mas, ATENÇÃO: fomos em um domingo e como não chegariam cruzeiros naquele dia, NENHUMA loja estava aberta. Nos contaram que tanto o shopping do Renaissance como as lojas de rua de Punda (logo depois que você atravessa a ponte e “se enfia” pelas ruas, você verá lojas e mais lojas legais), só abrem quando chegam cruzeiros, mesmo que seja dia de semana. Estava tudo MORTÍSSIMO! Nenhuma alma. Melhor se informar antes de ir. Pois acabamos tendo que voltar em outro dia pra ver o lugar mais animado.
clip_image207

Ponte aberta para passagem de navios
Ponte já “em seu devido lugar” para ir de Otrobanda a Punda

*** Dia 3 – Jan Thiel & Mambo Beach ***
Hora de conhecer as praias do “sul”.
A idéia desse dia é chegar bem cedo em Jan Thiel para curtir a praia, almoçar por lá e ir a tarde para Mambo Beach ver o pôr do sol. Mas você também pode fazer exatamente o contrário, pois Mambo Beach também é demais para passar o dia e o pôr do sol em Jan Thiel também é de tirar o fôlego. Your choice!
  • Jan Thiel & Papagayo Beach
As duas estão lado a lado. Essa é a região que já falei acima que adorei. Chegue cedo e escolha algum dos beach clubs para se acomodar (Papagayo, Zest, Tinto ou Zanzibar). Nós escolhemos ficar no Zest porque a parte de praia logo em frente era a mais bonita. Pagamos 20 dólares por duas super camas, duas toalhas e uma garrafa d’água. Achei que compensou pois o lugar era super legal. Tem serviço de garçom na areia e a comida é bem gostosa.
As praias do “sul” não são tão lindas como as do “norte”. Tem algo de artificial, mas mesmo assim, é azul e calminha. O que gostei mesmo foi a estrutura (tanto de Jan Thiel como de Mambo Beach/Seaquarium). É outro esquema… Lounge music, ambiente moderninho, restaurantes legais.
Em Jan Thiel (ao lado do Papagayo Beach Club) há um centro de mergulho (scuba), Curaçao Water Sports, com saídas dali mesmo da praia. Custou 75 dólares incluindo o aluguel de roupas e equipamentos (tudo novinho! A gente levou máscara, snorkel e nadadeira, mas nem isso precisava pois eles também tinham e já estava no preço). A barreira de coral é bem legal e o mergulho vai até 18m.

  • Seaquarium Beach (também conhecida como Mambo Beach)
Seaquarium Beach é o nome da praia mas ela acabou ficando conhecida por sua principal e mais famosa “barraca”, a Mambo Beach. Achei um lugar super legal. A praia em frente é bem bonita e o lugar tem uma ótima estrutura, com piscina e tudo. Tomamos apenas um drink lá para assistir ao por do sol (uau!!!) mas eu com certeza passaria um dia todo naquela região.
Chama-se Seaquarium porque, lógico, o aquário de Curaçao está lá (olhando para o mar, à sua esquerda). Clique aqui para ver todas as atividades do parque, que incluem encontros com leões marinhos, show de golfinhos etc.
Na extensão dessa praia, que é beeeem comprida, existem várias “barracas” legais. Entre elas, está a Cabana Beach, que é mais badalada (tem DJ e mais agito).
*** Dia 4 – Hotel e/ou Atividades Extras ***
Bom, 3 dias foi corridíssimo pra fazer tudo. E ainda tem várias coisas legais “extras” que você pode conhecer além das praias acima e de Willemstad. Por isso é melhor ficar 4 dias ou até mesmo 5.
  • Curtir o hotel
Já que estamos pagando, né?! hehehe. Passe um dia (ou meio dia) curtindo a piscina, a praia, faça massagem etc etc. Tudo o que você tiver direito!!!
Em Curaçao você pode ir além do “encontro”. Reserve um mergulho de snorkel ou até mesmo de cilindro em mar aberto (para quem tem carteirinha PADI) com os golfinhos. Imagine a emoção!! A Dolphin Academy fica na Seaquarium Beach.
clip_image243foto: touracao.com
  • Scuba Diving
Para quem gosta de mergulhar, Curaçao é O LUGAR (assim como Bonaire, a ilha vizinha). Então já que você está lá, melhor não perder a oportunidade. Já falei anteriormente, mas indico a empresa Curaçao Water Sports que tem base em Papagayo Beach (ao lado de Jan Thiel) e em Cabanas Beach (ao lado de Mambo Beach)
  • Klein Curaçao
Uma ilha desabitada chamada “Pequena Curaçao” (pequena mesmo, com 1,7km2 de extensão), que fica a 1h30 de barco. Não fui mas pelas fotos que vi valeria muito a pena passar o dia lá, pois o lugar parece ser ainda mais lindo que Curaçao (como!?!?!?). Algumas empresas que fazem esse passeio (clique no nome para acessar o site): Mermaid Boat Trips, Yellow Tourism Solutions e Bounty Adventures. Acredito que você pode reservar lá mesmo, com a ajuda do seu hotel. Pelo menos no Marriott tinha um balcão só pra isso.
clip_image245A ilha de Klein Curaçao – para conhecer em um day-tour | foto: panoramio.com
  • Passeio de barco ao redor da ilha e snorkel no Tugboat
Faça um passeio de barco privado bordeando a ilha e também parando para conhecer o Tugboat. É um barco afundado que está a 6m de profundidade. Alguns fazem de scuba mas também dá para ver de snorkel. A Curaçao Water Sports faz esse passeio de barco, saindo da Cabana Beach, mas há muitas outras opções de passeios para ir ver o Tugboat.
clip_image247foto: marinevideo.eu
  • Esportes náuticos
Se você gosta de passear de kayak, stand up paddle, jet ski… Curaçao tem empresas alugando isso por todas as praias. Mas em Jan Thiel é possível fazer o FlyBoard, sabe?! Aquele jato que faz a pessoa atingir até uns 10m acima da água!
clip_image248
*** Dicas Extras ***
  • Leve REPELENTE. Curaçao tem muuuuito mosquito. A tardezinha e a noite é impossível não ser picado!! Lembre-se da Chikungunya (doença viral parecida com a dengue) que está “em alta” no Caribe.
  • Supérfluo total: leve uma bóia dessas bem baratinhas e fáceis de encher. Como o mar é sempre tão calminho, é uma delícia ficar flutuando sobre o azul turquesa! rs.
  • Mantenha seu carro sempre ABASTECIDO. Pois algumas praias são bem longe e não há NENHUM posto por perto. Passamos um aperto voltando de Kenepa.
  • Se na volta você for para o aeroporto com fome, coma ANTES de embarcar. Pois lá dentro existem apenas duas opções de restaurantes, que além de ter péssimos lanches são CARÍSSIMOS. Juro, paguei 14 dólares em um hambúrguer menor que a palma da minha mão. Já fora, perto da área do check-in, há alguns restaurantes conhecidos, de rede.
  • Aumente sua viagem e já conheça ARUBA E CURAÇAO de uma só vez. A Copa Airlines e a Avianca fazem vôos para as duas ilhas e você pode voar de uma para a outra de Insel Air. O vôo custa em torno de 100 dólares e demora apenas 40 minutos. Leia o post da minha viagem a Aruba aqui. Você vai se apaixonar!
  • Se tiver ainda bastante tempo, que tal conhecer de uma vez o “B” das Ilhas ABC, Bonaire?! O forte da ilha é o mergulho. A Insel Air também faz vôos de Curaçao e Aruba para lá.
Veja abaixo o mapa de Curaçao com todos os pontos de interesse que citei aqui (hotéis, praias, restaurantes, beach clubs, aeroporto…).
clip_image250
Gostou de Curaçao? Eu A-M-E-I! To cada vez mais encantada por essas Ilhas ABC!
E pra fechar, aqueeeele pôr do sol de arrepiar!
clip_image252
Um beijo,
Lala Rebelo
. Siga-me no instagram @lalarebelo. E curta minha página no facebook Lala Rebelo Travel Blog
clip_image253
↑ Voltar ao começo do post
Tags:
Antilhas Holandesas, Baoase, beach club, beach clubs Curaçao, Bistro Le Clochard, Cabana Beach, Caribe Holandês, Cas Abao, Chikungunya, CRU, dicas de Curaçao, Dicas do Caribe, Dolphin Academy, Florin, FlyBoard, hotéis Curaçao, Ilhas ABC, Insel Air, interação com golfinhos, Jan Thiel, Kenepa, Kenepa Chiki, Kenepa Grandi, Klein Curaçao, lua de mel no Caribe, Mambo Beach, mar azul turquesa, Marriott Curaçao, mergulho, Mundo Bizarro, nado com golfinhos, Nena Sanchez, Otrobanda, Papagayo Beach, Papiamento, Piertermaai, Piscadera, Porto Mari, praias de Curaçao, Punda, Reino dos Países Baixos, Renaissance Mall, restaurantes Curaçao, Rif Fort, Salina Jan Kok, Scuba Diving, Seaquarium Beach, snorkel, Tugboat, Westpunt, Zest

10 DICAS DE CURAÇAO PRA VOCÊ PLANEJAR SUA VIAGEM POR CONTA PRÓPRIA


Curaçao é um daqueles destinos dos sonhos no Caribe. Mar azul turquesa, praias de areia branquinha, compras sem impostos e arquitetura holandesa. A ilha só virou um país efetivamente em 2010, quando se tornou um país autônomo constituinte do Reino dos Países Baixos.
Listamos aqui 10 dicas de Curaçao pra ajudar você a planejar sua viagem pra esse paraíso.
+ Veja dicas de como escolher seu hotel na ilha

10 DICAS DE CURAÇAO

1) CARRO
O transporte público, mesmo táxi, é praticamente inexistente. Portanto alugar um carro é item quase obrigatório. Se você não o fizer, terá sua viagem restrita às proximidades do hotel ou terá de embarcar num dos ônibus de city tour que levam principalmente passageiros de navios para conhecer rapidamente as praias mais bonitas. Mal dará tempo de entrar no mar. Vale falar que os postos de combustível funcionam no sistema self service, sem frentista. Confesso que apanhamos muito para abastecer.

Com um bom GPS você conseguirá dirigir facilmente pela ilha. As estradas em sua maioria são boas. Se quiser economizar alguns dólares, baixe um GPS offline, sem necessidade de Internet, no seu smartphone. Nossa dica é o Navfree (veja para Android ou IOS), que funcionou perfeitamente na versão gratuita. Ele vem integrado ao Google, portanto, quando tínhamos Wi-Fi, buscávamos os pontos de interesse e salvávamos nos “favoritos” para usar mais tarde.
2) DINHEIRO
A moeda oficial é o Florim das Antilhas Holandesas (sigla NAF). Muita gente nos disse que apenas dólar era suficiente. Realmente a moeda americana é aceita em praticamente todo lugar, mas é bom saber que os preços praticados são em NAF. Ou seja, a conversão deve ser feita o tempo todo e os trocos em sua maioria são dados também em Florins. Já parquímetros e outras máquinas só aceitam o dinheiro local. Uma coisa boa é que a taxa de conversão foi sempre a mesma em todos os estabelecimentos. Nos dias que estivemos lá, um dólar valia 1,75 Florim.


4) PRAIAS PRIVADAS
Parece algo sem sentido para nós brasileiros, mas em Curaçao existem muitas praias em propriedades particulares – algumas das mais lindas, por acaso. Nesses lugares é preciso pagar pra entrar. O preço médio gira em torno dos US$3 a US$4 por pessoa. As famosas Porto Marie e Cas Abao são algumas delas. O lado bom fica pelo fato de esses locais terem melhor estrutura.
5) PAGANDO PRA VER
Já que falamos em praias privadas, por aqui tudo se paga para curtir as praias mais badaladas. Vai ficar num beach club, por exemplo? Então prepare para desembolsar dólares para usar as cadeiras, para toalhas, aluguel de armários e até mesmo usar as piscinas desses lugares.

6) HORÁRIOS
Parece que os ares caribenhos fazem com que a população de Curaçao saiba realmente aproveitar a vida. Todo o comércio funciona apenas das 8h às 18h e mal abre aos domingos, com exceção de alguns mercadinhos chineses que ampliam o expediente. Dá uma pena ver aquelas ruas do centro cheias de lojinhas, que seriam um ótimo passeio à noite, completamente às moscas. E mesmo os bares e restaurantes fecham muito cedo por aqui. Não saia para jantar depois das 21h porque a chance de encontrar todas as cozinhas fechadas é altíssima. Aos fins de semana, alguns bares mais animados vão até um pouco mais tarde. Já os cassinos, esses sim funcionam até por volta das 4h.
7) GEOGRAFIA
A capital de Curaçao é Willemstad, uma pequenininha cidade super charmosa, cheia de casinhas coloridas. Já a ilha em si surpreendeu por não ser tão pequena como imaginávamos. Você pode facilmente dirigir por mais de uma hora sem achar o “fim do país”. As praias mais legais estão a uma boa distância da capital, a mais de 30 minutos sentido norte. Daí a necessidade do carro.

8) COMPRAS
Curaçao é uma área livre de impostos para muitos produtos, como perfumes, cosméticos e eletrônicos. Portanto você irá reparar que alguns preços são até melhores que nos free shop’s.
9) CUSTO-VIAGEM
Se por um lado as compras de alguns produtos vale a pena, os preços de serviços e principalmente alimentação são muito altos em Curaçao. Difícil encontrar uma refeição por menos de US$20, a menos que em barraquinhas, supermercados ou redes americanas de fast food. Uma cerveja longneck, por exemplo, costuma custar entre US$4 e US$5. Com o dólar a quase R$3, assusta um pouco.

10) TEMPO MALUCO
Curaçao está fora da rota dos furacões e tem um clima árido. Durante os meses mais chuvosos, entre novembro e fevereiro, podem cair fortes pancadas a qualquer minuto e, logo depois, o tempo abre novamente. Foi daí que entendi por que é tão difícil encontrar fotos da ilha com céu azul limpinho. Estivemos aqui justamente nesta temporada de chuvas, mas nossa viagem não foi prejudicada. Corríamos em certos momentos para nos esconder das chuvas e poucos minutos depois o sol estava de volta. A atenção fica maior na estrada, pois alguns lugares podem ter pequenos pontos de alagamento. A época mais seca fica entre fevereiro e setembro.

BÔNUS: Com a sugestão da leitora Fabíola Sena, vale falar aqui que é muito fácil combinar a viagem com Aruba (uma ilha mais americanizada com grandes resorts) e Bonaire (um dos melhores pontos de mergulho no mundo todo). Juntas com Curaçao, elas foram as chamadas “Ilhas ABC”. A Insel Air liga esses destinos.



Tem

0 comentários

Gostou do que leu? Comente aqui ou compartilhe a postagem

O que você procura?